Quem sou eu

PCRJ/SME/Gerência de Mídia e Educação/4ª CRE Rua Uranos, 1230 - Ramos - RJ CEP Telefone 3885 9492 Horário de funcionamento: 2ª a 6ª feira - 9:00h. às 17:00h

terça-feira, 24 de julho de 2012

Novidades da Biblioteca (3) - Julho/12

Este livro traz uma história surpreendente. Goldstein sente a necessidade premente de colocar-se a prova, de enfrentar perigos encarando de frente o próprio medo, os limites do mundo, e especialmente, seus próprios limites. Ele se propôs a encontrar Deus nas situações mais desafiantes e assustadoras.
Trilhando a Rota da Seda na Ásia Central ou pernoitando numa prisão em Nova York, Goldstein relata, como às vezes é preciso uma viagem até os extremos, penetrando no território do risco e desconforto, para que possamos descobrir a nutrição espiritual.




Jovens cariocas de todos os tempos, de diferentes origens e culturas, se encontram nestas aventuras para contar a emocionante história do Rio de Janeiro. São cinco séculos nos quais se cruzam fatos reais e imaginados, personagens que existiram e inventados, numa narrativa envolvente que apresenta os mais importantes eventos dessa trajetória. A partir desse encontro entre realidade e fantasia, descobrimos a evolução da cidade, as mudanças de sua geografia, os hábitos de diversas épocas e, por fim, o que a cidade e seus moradores são hoje.



A maioria de nós está repleto de modelos sociais de felicidade. Todos queremos ser certos e adequados. E, assim, nos obrigamos a agir contra os impulsos de nossa verdadeira natureza. Pensando fazer o melhor, acabamos por nos conduzir ao vale do desajuste e da dor. Até que a audácia de uma alma forte e lúcida como a de Juliana nos mostre que o verdadeiro vencedor é aquele que tem a coragem de calar o mundo em si e caminhar pelas portas do coração.






John Lukacs, historiador eminente nativo de Budapeste, apresenta neste livro uma descrição rica e eloquente de uma das grandes cidades da Europa em seu apogeu: um retrato cultural e histórico de Budapeste — seu panorama, sons e habitantes, a comunidade artística, sua dinâmica de classes e política, o papel essencial desempenhado por sua população judia — e a descrição que acompanha a ascensão da cidade e seu declínio no turbilhão do século XX.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Convite


Oficina de Contação de Histórias

                         "O Contador de Histórias"

O Contador é um capitão que tem o timão e pode guiar o barco, mas se o público não sopra nas velas, ele vai ratear. (Catherine Zacarte).


. Ministrantes: As Alquimistas da Palavra
                     Sonia Sampaio e Deka Teubl                     Profas. (Letras) e Contadoras de Histórias

Programa:
  - O Contador de Histórias: seu papel, sua importância
  - Habilidades do Contador de Histórias
  - Tipos de Narrativas: fábula, lenda, mito, conto, conto de fadas
  - Atividades Lúdicas / Dinâmicas de Grupo
  - Leitura de Textos Didáticos e de Textos Literários
  - O Conto Popular e o Conto Autoral
  - Para Quem, Onde e Quando Contar Histórias
  - Contação de Histórias
  - Bibliografia
  - Entrega de certificados
 
. Local: Sede do Lyons - Flamengo / RJ
  Rua Silveira Martins, 80
 
 (Entrada: Rua do Catete, pela Praça do Poeta) 
. Dia: 25 de julho de 2012 (quarta-feira) 
. Horário: das 14:00 às 17:00 horas
. Carga horária: 3 horas
. Investimento: R$80,00 (com material didático) 
 (pagamento feito no dia da Oficina)
. Inscrição: até o dia 23/07/12 com
 - Sonia Sampaio  / e-mai: sonia.sampaio@oi.com.br
      Fone: (21) 2551-3572 ou
 - Deka Teubl    /   e-mail: dekateubl@yahoo.com.br
      Fone: (21) 3237-7237

Atenciosamente
As Alquimistas da Palavra
Sonia Sampaio e Deka Teubl

Um pouco de história

Neste mês, no dia 22, o bairro da Penha comemora 93 anos de criação. A Penha tornou-se oficialmente bairro em 1919, quando foi emancipada da Freguesia do Irajá. Então nosso blog resolveu contar um pouco da história deste bairro que é nosso vizinho.


A Penha é um bairro de classe média e média-baixa da Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil. Faz limite com Olaria, Brás de Pina, Cordovil, Vila da Penha, Vila Cosmos, Engenho da Rainha, Complexo do Alemão e Complexo da Maré.
O bairro tem 80.000 habitantes e com referência central a Igreja da Penha no alto de uma pedra.

História do bairro

A Igreja da Penha é um santuário situado no cima de um outeiro de pedra, na estação do subúrbio da Estrada de Ferro Leopoldina ao qual empresta o nome, próxima da estrada que, partindo da Capital, vai dar em Petrópolis.
A construção do templo data de 1635, pelo capitão Baltasar de Abreu Cardoso, sanhor abastado, «homem dos principais da cidade», proprietário de uma grande quinta dentro da qual se achava o penhasco. Suas terras, segundo indica Vivaldo Coaracy em sua obra «O Rio de Janeiro no século 17», p. 84, lhe foram concedidas por sesmaria em 1613. Para Coaracy, «a devoção dos primitivos moradores do Rio de Janeiro multiplicava capelas e ermidas consagradas à Virgem Maria sob várias invocações, e aos santos de culto mais popular. A religião era, naqueles tempos rudes e de limitada cultura mental, o único veículo de expansão das atividades espirituais; as cerimônias do culto constituíam quase o unico elemento de distração para as asperezas da existência. Baltasar Cardoso decidiu erguer uma capela no alto do morro situado em suas terras e, neste ano de 1635, levou a efeito o seu propósito construindo ali um pequeno templo que foi a origem da Igreja de Nossa Senhora da Penha, que veio posteriormente a dar nome ao bairro. Não muito longe, outra capela foi erguida mais ou menos pela mesma época: a de Santo Antonio de Lisboa no Engenho da Pedra; não é conhecida a data exata da sua fundação mas existe nos livros da freguesia da Candelária o registro de um batismo ali celebrado em 1638.»
A ocupação do bairro da Penha se deu em 1670, quando a Igreja da Penha foi ampliada e, cinco anos mais tarde, com a inauguração de sua longa escadaria - que dizem ter 365 degraus -, facilitou o acesso dos romeiros, que com devoção subiam, escalavrando joelhos, pagando promessas, resgatando pecados, salvando almas.
No final do Século XIX, a Estrada de Ferro do Norte chegou à Penha e, no início do Século XX, foi a vez do bonde elétrico. A oferta de transporte só fez aumentar ainda mais o número de romeiros na região.
Em 1920, do lado oposto da Igreja, foi implantado o Curtume Carioca, que com seu apito caracteristico,chamava à obrigação do trabalho, uma indústria de curtumes, peles e comércio de couros e similares, com construção em estilo Art nouveau. Marcando o caminho, da Estação Ferroviária até a sua porta, foram plantadas Palmeiras Imperiais.
Já enfrentando retração do mercado, pelo surgimento do produto sintético e em função da crise econômica vivida pelas indústrias nacionais, as atividades do Cortume foram encerradas em 1990. O epílogo da história do Cortume Carioca ocorreu em 1998, quando foi decretada a falência. Hoje o local se encontra em processo de demolição, e deve abrigar uma vila olímpica, que deve ajudar a lançar uma nova safra de craques do esporte, algo característico do bairro.
Do bairro surgiram os jogadores de futebol Romário, Gonçalves e Adriano.
No dia 22 de julho de 1919, o bairro da Penha foi emancipado da Freguesia de Irajá, a partir do Decreto nº 1376.
Reconhecido seu valor histórico e cultural para a Cidade, no mês de junho de 1990, a Igreja da Penha foi tombada mediante o Decreto Municipal nº 9413 de 1990.
O Hospital Estadual Getúlio Vargas, fundado em 3 de dezembro de 1938, e o Parque Ary Barroso se encontram em um terreno doado pela família do pioneiro Lobo Júnior, conhecido como Chácara das Palmeiras.
Nesse bairro, o espírito cultural ainda tenta sobreviver nos eventos como: A Festa da Penha (no início do século XX, o primeiro samba gravado "Pelo Telefone" de Donga foi lançado nesta festa), uma festa colorida, com suas barraquinhas; com música sempre alegre e que envolve os corpos na malemolência da dança a festa que ocorre todo final do ano sempre nos meses de Outubro e Novembro.
Na Penha situada na Vila Cruzeiro no campo Ordem e Progresso o  projeto IBISS.


Atrações do Bairro da Penha
Shoppings: Leopoldina e o Shopping Penha.
Parques: Shangai e Ari Barroso
Colégios: Colégio Nossa Senhora da Penha, São Fabiano, GAU, E. M. Eurico Dutra, E. M. Conde de Agrolongo, Esil Eduacacional, Colégio Filadelfo Azevedo, Lumar, C. E. Gomes Freire de Andrade, E. M. Leonor Coelho Perreira, E. M. Monsenhor Rocha, entre outros.
Igrejas: Igreja N. S. da Penha, Igreja N. S. da Cabeça, Igreja Bom Jesus, entre outras.
Clubes: Centro Cívico Leopoldinense, 30 de Maio, Coimbra, Greip da Penha.
Feiras Livres: da Montevidéo, da Macapuri.
Mercados: Prezunic, Guanabara, Intercontinental (em duas localidades), Supermarket e o Super Prix.
Praças: Panamericana, do IAPI da Penha, Caí, Portugal.
Comércio: Rua dos Romeiros, Montevidéo, Av. Brás de Pina, Rua Nicarágua, Rua Conde de Agrolongo (parte), Av. Lobo Jr.

Igreja da Penha

A Igreja de Nossa Senhora da Penha de França, popularmente conhecida como Igreja da Penha é um tradicional santuário católico localizada no bairro da Penha, na cidade do Rio de Janeiro, no Brasil.

Erguida no alto de uma pedra, é famosa pelos 382 degraus da escadaria principal, onde muitos fiéis pagam promessas, subindo a pé ou de joelhos. O Santuário possui também um bondinho, recentemente reformado, com capacidade para transportar cerca de quinhentas pessoas por hora, gratuitamente.
Anualmente o santuário realiza os festejos da padroeira, no mês de outubro, promovendo a celebração de missas de hora em hora aos domingos, shows religiosos, procissões luminosas, missas campais, apresentação de grupos folclóricos, apresentação de corais e a festa na ladeira de subida ao santuário com as tradicionais barracas de comidas típicas, doces diversos e música ambiente

História da Igreja

No início do século XVII, o capitão Baltasar de Abreu Cardoso ia subindo o monte rochoso (penha) para observar as suas propriedades, quando de repente surgiu uma grande serpente prestes a atacá-lo. Assustado, apenas conseguiu rogar: "Minha Nossa Senhora, valei-me!". Imediatamente surgiu um lagarto, predador das cobras. Os dois animais começaram a lutar e o Capitão conseguiu fugir.
O proprietário interpretou a aparição do lagarto como obra de Nossa Senhora, a quem tinha pedido socorro, determinando erguer no alto da penha uma pequena ermida com uma imagem que denominou de Nossa Senhora da Penha por se encontrar no alto da rocha.
Progressivamente o número dos devotos foi aumentando até que, em 1728, a ermida com a imagem foi ampliada e erguido um campanário onde foram colocados dois pequenos sinos.

http://www.oriodejaneiro.net/bairros

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Novidades da Biblioteca (2) - julho/12

AVENTURAS DE UM NEURÔNIO LEMBRADOR
Coleção Completa (5 vols.)
Roberto Lent

São cinco divertidas histórias, com leveza e diversão, em que as crianças aprenderam muito. Nestas histórias elas descobrem como o cérebro funciona, como os neurõnios conversam e como isso influi na nossa vida cotidiana. Todos os livros têm dicas para os adultos.



















A vida do Ptix é muito agitada. Ele é um menino comum, mas seu dia-a-dia é cheio de aventuras compartilhadas com seus neurônios, que interferem em tudo. A turma de neurônios do cérebro do Ptix é liderada pelo Zé Neurim (neurônio da memória) e cada um deles tem sua história: O neurônio da emoção faz o Ptix suar frio quando ele vê a Camila... O neurônio da audição ouve uma coisa e conclui outra... O neurônio motor não consegue ensinar o Ptix a andar de bicicleta... E o neurônio da memória esquece de avisar sobre o trabalho da escola. Como é que pode isso?

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Convite


“CANTA PENHA
24 de julho (terça-feira), às 14 horas
“Arraiá dos Amigos” convida para o Sarau comemorativo dos 93 anos do bairro da Penha.
(A Penha só foi transformada oficialmente em bairro em 22 de julho de 1919, quando foi emancipada da Freguesia de Irajá)
Apresentação: Poetas, músicos, cantores, dançarinos e outros artistas da comunidade.



BEM DA PENHA-ÁLVARO MOREYRA
RUA LEOPOLDINA REGO, 734 – PENHA
TEL.: 3885-8477

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Livros de Ariano Suassuna

A Biblioteca recebeu da 4ª CRE  livros do escritor Ariano Suassuna, que agora fazem parte de nosso acervo.

E já estão disponíveis para o empréstimo.

Ariano Suassuna nasceu na cidade de João Pessoa, Paraíba, no dia 16 de junho de 1927, filho de João Urbano Pessoa de Vasconcelos Suassuna e Rita de Cássia Dantas Villar. Fez o curso primário no município de Taperoá, PB. Em 1942, a família Suassuna se transfere para o Recife e Ariano vai estudar no Ginásio Pernambucano e depois no Colégio Oswaldo Cruz.

Em 1946, entrou para a Faculdade de Direito do Recife, onde conheceu um grupo de escritores, atores, poetas, romancistas e pessoas interessadas em arte e literatura, entre os quais, Hermilo Borba Filho, com o qual Ariano fundou o Teatro de Estudantes de Pernambuco. Concluiu o curso de bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais em 1950.

Em 1947, escreveu sua primeira peça de teatro, Uma mulher vestida de sol, baseada no romanceiro popular do Nordeste brasileiro e com ela ganhou o prêmio Nicolau Carlos Magno, em 1948.

No dia 19 de janeiro de 1957, casa-se com Zélia de Andrade Lima, com a qual teve seis filhos: Joaquim, Maria, Manoel, Isabel, Mariana e Ana.

Foi membro fundador do Conselho Federal de Cultura, do qual fez parte de 1967 a 1973 e do Conselho Estadual de Cultura de Pernambuco, no período de 1968 a 1972.

Foi nomeado, em 1969, Diretor do Departamento de Extensão Cultural da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, ficando no cargo até 1974. Lança no dia 18 de outubro de 1970 o Movimento Armorial, com o concerto Três séculos de música nordestina: do barroco ao armorial, na Igreja de São Pedro dos Clérigos e uma exposição de gravura, pintura e escultura.

De 1975 a 1978 foi Secretário de Educação e Cultura do Recife. Doutorou-se em História pela Universidade Federal de Pernambuco, em 1976. Foi professor da UFPE por 32 anos, onde ensinou Estética e Teoria do Teatro, Literatura Brasileira e História da Cultura Brasileira.

Em agosto de 1989, foi eleito por aclamação para a Academia Brasileira de Letras, tomando posse em maio de 1990, na cadeira número 32, que pertenceu ao escritor Genolino Amado. Dramaturgo, romancista, poeta, ensaísta, defensor incansável da cultura popular, das raízes brasileiras e, especialmente nordestina, é autor de várias obras:

Uma mulher vestida de sol (1947): O desertor de Princesa (1948); Os homens de barro(1949, inédita); Auto de João da Cruz (1949); O arco desabado (1952); Auto da Compadecida (1955); O santo e a porca (1957); O casamento suspeitoso (1957); A pena e a lei (1959); Farsa da boa preguiça (1960); A caseira e a Catarina (1962); Romance d´a pedra do reino e o príncipe de Sangue do Vai-e-Volta (1971, traduzida para o inglês, alemão, francês, espanhol, polonês e holandês).


Livros do escritor que constam em nosso acervo















domingo, 8 de julho de 2012

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Conheça nossa Gibiteca










Para se associar na Gibiteca você só precisa 
                      doar dois gibis.

Novidades da Biblioteca - Julho/12

A lei universal da atração: aprendendo a conquistar o que você deseja
Abraham (Espírito)


Com base nos ensinamentos do guia espiritual Abraham, "A Lei Universal da Atração" nos ensina a exercer um controle maior sobre a nossa vida, a aumentar nosso poder de atrair experiências positivas e a tentar evitar que coisas ruins nos aconteçam.




      Monteiro Lobato em quadrinhos
O Minotauro: adaptado da obra de Monteiro Lobato por Stil

O livro, escrito por Monteiro Lobato em 1939, é adaptado agora para os quadrinhos, que traz informações e curiosidades sobre a época de glórias da Grécia e a importância do país para a cultura, política e filosofia de todo o mundo. A obra O Minotauro, com roteiro de Stil, está de acordo com a nova ortografia da Língua Portuguesa.


Toda Malfada

Mafalda é um dos personagens mais ricos e interessantes das histórias em quadrinhos. Desconhecida da atual geração de leitores, essa menininha argentina e toda a sua turma foram criadas, nos anos 1960, por Quino, quadrinista portenho famoso em todo o mundo. O contexto em que foi criada explica, em parte, uma das peculiaridades dessa impressionante coleção de tiras publicadas em jornais e que foram editadas em vários livros, inclusive numa coletânea conhecida como “Toda Mafalda”.



O cachorro que jogava na ponta esquerda
Luis Fernando VerissimoEsqueça os craques, os lances ensaiados, as bolas geniais. Em O cachorro que jogava na ponta esquerda, Luis Fernando Verissimo deixa de lado os estádios, as copas e os cartolas para contar a história de um time de futebol de várzea dos menos profissionais. Nosso Time não tinha camisa, hino, nem 11 homens. Só sete, e já contando com Canhoto, o cachorro do título. Mas esse time de pernas de pau vai enfrentar a partida de suas vidas quando desafiar o organizado e profissional Universal Futebol e Regatas. Tudo contado pelos passes leves de Luis Fernando Verissimo, craque conhecido pelo drible fácil nos clichês que assolam campos e letras.



Ritual
Mo Hayder

Pulga é uma mergulhadora profissional que trabalha para a polícia. Certa manhã, ela encontra na água sob o porto flutuante de Bristol, uma mão humana. O mais surpreendente, porém, é que os investigadores logo descobrem que o homem a que a mão pertencia ainda está vivo, e desaparecido. Na busca para resolver o mistério, o leitor é levado pelo submundo da cidade, onde reinam vícios e estranhos rituais.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Datas Comemorativas do Mês de Julho


02/ 07 - DIA DO BOMBEIRO 

 A 2 de julho de 1856 foi criado, no Rio de Janeiro, o Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, que teve por comandante o major João Batista de Morais Antas.
Por isso é que a 2 de julho se comemora ainda hoje o ?Dia do Bombeiro?, numa rememoração desse dia e como homenagem ao constante devotamento e aos atos de heroísmo praticados por todos os que pertencem e tem pertencido a essa exemplar corporação, na qual o povo cegamente confia.
As guarnições do Corpo de Bombeiros são várias em diferentes pontos da cidade, estão sempre prontas a acorrer para onde se faça necessária a sua ação, quer para debelar incêndios, quer para salvar vidas, humanas ou mesmo de animais, em quaisquer circunstâncias.
O bombeiro é um grande amigo de todos nós.
Por isso é de plena justiça a comemoração do seu dia, à qual todos devemos associar.




17/07 - DIA DE PROTEÇÃO ÀS FLORESTAS

    Preservar florestas é sinônimo de proteger a vida.
Florestas têm sido ameaçadas em todo o mundo, pela degradação incontrolada. Isto acontece por terem seu uso desviado para necessidades crescentes do próprio homem e pela falta de um gerenciamento ambiental adequado. As florestas são o ecossistema mais rico em espécies animais e vegetais. A sua destruição causa erosão dos solos, degradação das áreas de bacias hidrográficas, perdas na vida animal (quando o seu o habitat é destruído, os animais morrem) e perda de biodiversidade.
Agora podemos perceber como o dia 17 de julho - Dia de Proteção às Florestas - é fundamental para que possamos lembrar da importância de conservarmos nossas florestas: aumentar a proteção, manter os múltiplos papéis e funções de todos os tipos de florestas, reabilitar o que está degradado. Isto é, preservar a vida no planeta.

SUGESTÃO DE LIVRO




19/07 - DIA NACIONAL DO FUTEBOL

Dia 19 de julho é o dia do Futebol no Brasil. Instituído em 1976, o dia foi escolhido pela CBF – Confederação Brasileira de Futebol - em homenagem ao primeiro clube de futebol do país, o Sport Clube Rio Grande, da cidade de Rio Grande-RS, fundado em 19 de julho de 1900. Curiosamente, a Ponte Preta foi fundada 23 dias depois. Outros clubes brasileiros foram fundados antes, mas não nasceram especificamente como clubes de futebol.

O esporte chegou ao nosso país através do Charles Miller, que aprendeu a jogar futebol na Inglaterra. Hoje, ele dá nome à praça em que fica o estádio do Pacaembu, em São Paulo.

O primeiro jogo de futebol no Brasil foi realizado em 15 de abril de 1895 entre funcionários de empresas inglesas que atuavam em São Paulo: Funcionários da Comanhia de Gás X Cia. Ferroviária São Paulo Railway.

SUGESTÕES DE LIVRO










20/07 - DIA DO AMIGO
O Dia do Amigo é uma data proposta para celebrar a amizade entre as pessoas. No Brasil, Uruguai e Argentina, a data mais difundida para esta celebração é 20 de julho, aniversário da chegada do homem a lua. Em 27 de abril de 2011, a Assembleia Geral das Nações Unidas resolveu convidar todos os países membros a celebrarem o Dia Internacional da Amizade em 30 de julho.




SUGESTÕES DE LIVROS











26/07 - DIA DA VOVÓ

Os avós são pessoas ligadas a nós através de laços consanguíneos, pois são os pais dos nossos pais.

Assim, cada pessoa tem quatro avós, sendo uma avó e um avô paterno e uma avó e um avô materno.

Os avós merecem consideração e respeito, pois já viveram muito, possuem grande experiência de vida e podem transmitir muitos ensinamentos a todos de sua família. Por isso, ganharam uma data especial, para que fossem homenageados, o dia 26 de julho, que é mais conhecido como o dia da vovó.

O surgimento e criação dessa data foi em homenagem aos avós de Jesus Cristo, Joaquim e Ana, cujas pequenas informações aparecem no evangelho de Tiago. Registros históricos mencionam que em 1889, na cidade de Jerusalém, foram encontrados os túmulos onde Joaquim e Ana foram enterrados.

No dia da vovó podemos fazer várias programações para distraí-los, além de se tornar uma diversão para a família, como: fazer um passeio num parque, assistir a um filme do gosto deles, fazer uma reunião de família onde todos possam expressar seu amor e carinho pelos mesmos, etc.

Além disso, oferecer lembrancinhas e presentes para agradá-los também é uma forma de mostrar que são amados e que recebem consideração. Os objetos a serem oferecidos devem estar de acordo com as idades e os interesses dos avós, para não ficarem guardados. Normalmente gostam de perfumes suaves, cremes, sabonetes, pijamas ou camisolas de malhas confortáveis, roupões de banho, chinelos que acondicionem bem os pés, sapatos baixos e confortáveis com solado antiderrapante, dentre vários outros.

Os idosos também gostam muito de ser ouvidos. Quando encontram pessoas que lhes dão atenção, gostam de relembrar os tempos passados, da época em que eram jovens e contar casos engraçados e interessantes.

Hoje em dia existem leis que favorecem os idosos, isso é questão de respeito com os mesmos e devemos acatá-las. Assim, os idosos têm o direito de entrar na frente das filas, não pagam passagens de ônibus, possuem vagas especiais em estacionamentos, dentre outros. É muito justo que isso aconteça, pois seus corpos já não são mais capazes de suportar o cansaço que pessoas mais novas conseguem.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola